Segunda, 15 de Julho de 2024
13°

Tempo limpo

São Paulo, SP

Geral Arapiraca

Fechamento da Maternidade do Chama e Superlotação no Regional forçam parturientes de Arapiraca a buscarem Hospital em Palmeira dos Índios

Diante desse cenário crítico, a transferência de parturientes para o Hospital Santa Rita em Palmeira dos Índios tem sido a solução emergencial adotada pelas autoridades de saúde. O hospital, localizado a 40 quilômetros de Arapiraca, tem recebido um número crescente de gestantes em trabalho de parto, criando um novo desafio logístico e de atendimento.

08/07/2024 às 19h17
Por: Redação Fonte: Tribuna do Sertão
Compartilhe:
Fechamento da Maternidade do Chama e Superlotação no Regional forçam parturientes de Arapiraca a buscarem Hospital em Palmeira dos Índios

A saúde pública de Arapiraca enfrenta uma grave crise com o recente fechamento da maternidade do Hospital Chama, um dos principais centros de atendimento obstétrico da região. A situação tem se agravado pela superlotação no Hospital Regional de Arapiraca, resultando na necessidade de transferir parturientes para o Hospital Santa Rita, em Palmeira dos Índios, a 40 quilômetros de distância.

O fechamento da maternidade do Hospital Chama, ocorrido devido a uma série de problemas estruturais e falta de recursos, pegou a comunidade de surpresa. O hospital, que atendia centenas de mulheres grávidas mensalmente, era um pilar crucial no atendimento obstétrico para Arapiraca e municípios vizinhos. Sem essa opção, a pressão recaiu sobre o já sobrecarregado Hospital Regional.

O Hospital Regional de Arapiraca, que também sofre com a escassez de leitos e recursos, tem enfrentado dificuldades para absorver a demanda crescente. De acordo com a administração do hospital, a capacidade atual não é suficiente para atender todas as parturientes da região, resultando em longas esperas e atendimentos emergenciais comprometidos.

Diante desse cenário crítico, a transferência de parturientes para o Hospital Santa Rita em Palmeira dos Índios tem sido a solução emergencial adotada pelas autoridades de saúde. O hospital, localizado a 40 quilômetros de Arapiraca, tem recebido um número crescente de gestantes em trabalho de parto, criando um novo desafio logístico e de atendimento.

“Estamos trabalhando no limite. A situação é complicada, mas estamos fazendo o possível para garantir que todas as mulheres tenham o atendimento necessário para um parto seguro”, afirmou a diretora do Hospital Santa Rita, Dra. Maria de Lourdes. Segundo ela, a equipe tem se desdobrado para acomodar as pacientes extras, mas alerta que a capacidade do hospital também pode ser comprometida se a situação persistir.

A transferência de gestantes, além de sobrecarregar o Hospital Santa Rita, também impõe desafios às famílias das parturientes, que precisam se deslocar para acompanhar o atendimento. Para muitas, essa distância representa um custo financeiro adicional e um estresse emocional significativo.

As autoridades de saúde de Arapiraca e da região estão em busca de soluções urgentes para reverter esse quadro. A reabertura da maternidade do Hospital Chama é uma prioridade, mas depende de recursos e investimentos que ainda não foram garantidos. Enquanto isso, o Hospital Regional de Arapiraca e o Hospital Santa Rita continuam na linha de frente, tentando mitigar os impactos dessa crise na saúde materno-infantil.

A comunidade espera por uma resposta rápida e eficaz das autoridades, pois cada dia de atraso na solução desse problema significa mais risco para as mães e seus bebês. A situação é um alerta para a necessidade de investimentos contínuos e sustentáveis na saúde pública, garantindo que crises como essa não se tornem uma constante na vida dos arapiraquenses.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias