O delegado José Carlos, responsável pela investigação do homicídio de Josefa Desiely Santos Magalhães, 26 anos, afirmou que o assassino atraiu a vítima para uma emboscada. A motivação do crime seria ciúmes. Deisiely Santos desapareceu de Arapiraca, no dia 21 de dezembro, e o corpo foi achado oito dias depois, na zona rural de Igreja Nova.
Os detalhes desse caso que chocou a população de Arapiraca foram revelados durante uma entrevista do delegado à TV Pajuçara, na tarde desta quarta-feira(13), um dia após a prisão do suspeito e de uma outra pessoa envolvida no crime.

Segundo o delegado, o suspeito, J.N.N, de 42 anos que trabalha em uma oficina mecânica em Arapiraca, tinha um relacionamento com a vítima cercado de extremo ciúmes e de vários términos e recomeços. Segundo o delegado, uma relação conturbada, o que provocava ameaças e perseguição de ambos os lados.

"Durante as investigações, obtivemos prints e áudios de uma relação muito possessiva que na maioria das vezes, infelizmente, acaba em feminicídio, como foi o caso da Deisiely Santos", afirmou.

Ainda segundo o delegado José Carlos, ultimamente o casal estava se encontrando, e entre os dias 18 e 19, o suspeito ajudou Deisiely Santos a comprar um carro. No dia do crime, eles eles tomaram café e almoçaram juntos.