Segundo a advogada “após sofrer assédio moral é sexual por parte do prefeito de Palmeira dos Índios Júlio Cezar durante mais de dois anos, a ex-chefe do setor de licitações se dirigiu à Central de Flagrantes de Maceió.

A vítima que depôs na tarde de hoje, mas não quis ser fotografada, durante mais de duas horas, falou em linhas gerais do seu sofrimento no período que trabalhou na prefeitura de Palmeira dos Índios.

Segundo Margareth Alves Costa Fausto, ele gritava em público com ela e pelo App Whatsapp lhe mandava nudes. “Várias vezes ele gritou comigo em público, onde utilizou palavras de baixo-calão e em outras vezes enviou pelo Whatsapp fotos íntimas”, contou.

Margareth foi ouvida na Central de Flagrantes de Maceió pelo delegado Dr. Vinicius Ferrari, que encaminhou a denúncia a Delegacia Regional de Palmeira dos Índios, a qual investigará o caso.

O assédio é previsto pelo artigo 216- A do Código Penal Brasileiro.